quarta-feira, 18 de agosto de 2010

CRISE DO PRIMEIRO REINADO

O primeiro reinado no brasil é o nome dado ao período de D.Pedro I reinou o brasil com título de imperador, entre 1822 e 1831, no decorrer de seu reinado ouve uma grande crise denominada "Crise do primeiro reinado" , cujo foi marcado por uma grande crise economia, financeira social e política com o termino em 1831 com a abdicação de D.pedro I.
O Brasil sofreu grande problemas com a política externa, os EUA foram os primeiros a aceitarem a independência apoiados pela Doutrina Monrol, já na Europa os países de tradições absolutistas tardaram a reconhecer a independência devido a ação da Santa Aliança, na América Latina o Brasil se tornara motivo de desconfiança por ter adotado a monarquia como forma de governo, num continente que todos os países se tornavam livres e republicanos, na Inglaterra se dividia entre brasil e portugal.Para resolver o impasse, o gov. inglês precionou Portugal a aceitar a perda do Brasil, em 1825 portugal reconheceu a independência e exigiu indenização de 12 milhões de libras esterlinas.

Perda da Cisplatina 1825 - 1828
Em 1825 a província cisplatina declarou sua independência em relação ao Brasil e anexou-se à Argentina.
O Brasil então declarou guerra à Argentina, como pano de fundo o controle da navegação na Bacia Platina. D.Pedro I recorreu a novos empréstimos externos, aumentando a crise interna, atraindo críticas políticas e desgastando sua imagem, ainda prejudicou a burguesia inglesa, impedida de ter acesso a região.
Em 1828, Brasil e Argentina reconheceram a independência da cisplatina, que adotou o nome de República Oriental do Uruguai.

Confederação do equador

Os lucros do comércio açucareiro (nordeste brasileiro) incentivaram outras nações a investirem no setor, aos poucos, Pernambuco deixou de ser o maior polo açucareiro mundial, enfrentando concorrência Holandesa, das Antilhas e do açúcar da beterraba, produzido na europa.
O Brasil se tornou independente, mas a situação economia permaneceu inalterada, mantendo-se ferem das oligarquias escravistas.
O imperador contra atacou as decisões no Rio ao adotar uma monarquia altamente centralizada por meio do poder moderador.
As lutas pernambucanas, contra os privilégios reais e pela independência, eclodiram mais uma vez em 1824, seu lideres Manuel de Carvalho e Cipriano Barata já possuíam ampla experiência revolucionaria.

Revolução liberal de 1830

Na Europa, os movimentos liberais combatiam os governos absolutistas com sucesso.
A imprensa brasileira comemorou com a queda do rei francês e o comparavam a D.Pedro I. Um dos maiores críticos foi o jornalista Líbero Badaró, cujo foi assassinado, os ânimos se exaltaram, e o imperador foi considerado o mandante do crime.
Tentando controlar a situação, D.Pedro I viajou para Minas Gerais, principal foco de oposição ao seu governo, sendo recebido com frieza.
De volta ao Rio, os portugueses organizaram uma festa para apoiar o imperador, que foi aproveitada pelos brasileiros para um confronto aberto contra os portugueses, dando origem à Noite das Garrafadas.
D.Pedro I tentou inutilmente acalmar a oposição mudando o ministério. Não deu certo, e os ministros brasileiros foram substituídos piorando a situação.Os militares apoiaram a população e, reunidos no Campo da Aclamação, exigiam a readmissão do ministério deposto.
D.Pedro I se negou a dar ouvidos e confirmou o ministério de portugueses.
Sem condições de governo, D.Pedro I abdicou em favor de seu filho, que contava com 5 anos de idade, partiu para Europa, onde foi combater seu irmão e retomar o trono português para sua filha.


texto: Lucas Lessa
imagens: google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário